Postura do Cristão


Estive recentemente lendo no livro de Jó, capítulo 31 e fiquei surpreso com o rico conteúdo que ali encontrei. Pude ver por que Deus amava tanto a Jó. Também pude entender que Jó não foi simplesmente provado. Na verdade Jó foi usado por Deus para dar uma tremenda lição de moral no diabo. Jó tinha crédito lá no céu suficiente para financiar todo o curso de sua vida. Crédito adquirido não lucro de seus negócios, mas pelo grande amor que ele tinha pelo ser humano. Vamos enumerar os títulos gerado por seu investimento espiritual?
1 - Se por acaso me desviei do caminho certo,
2 - Se o meu coração alguma vez foi seduzido pela mulher do meu vizinho.
3 - Se fiquei escondido, espiando a porta da casa dela (da vizinha),
4 - Se deixei de ajudar os pobres, ou permiti que as viúvas chorassem de desespero.
5 - Se tomei sozinho as minhas refeições, nem reparti a minha comida com os órfãos.
6 - Se via alguém morrendo de frio por falta de roupa ou notava algum pobre que não tinha com que se cobrir e fingia não vê-lo,
7 - Se alguma vez fui violento com um órfão,
8 - Se confiei no ouro; se dele fiz a base da minha segurança. Se me orgulhei de ter muitas riquezas, ou de ganhar muito dinheiro.
9 - Se me alegrei com a desgraça dos meus inimigos, ou fiquei contente se lhes acontecia alguma desventura.
10 - Se deixei um estrangeiro dormir na rua; ou os viajantes não se hospedaram na minha casa.
11 - Se procurei encobrir as minhas faltas, ou escondi no coração os meus pecados.
12 - se comi os seus frutos, sempre paguei os trabalhadores como devia e jamais deixei que morressem de fome.
Este era o verdadeiro investimento de Jó. Deus não o amava por ser rico, famoso ou contado entre os grandes da terra. Cá entre nós, não é de admirar que Jesus não tenha falado em cultos, nem igrejas, nem sacrifícios quando citou o sermão profético no capítulo 24 Mateus. Note que ele citou como falha ou crédito, o cuidar de pessoas: Se vestiu o nu; se deu pão ao faminto, água ao sedento; se visitou o preso ou o doente.
Nós priorizamos tanto o culto, a presença nos templos, a fidelidade na entrega dos dízimos e ofertas, não é de estranhar que Jesus não tenha citado tais coisas? 
Já parou para pensar que nada do que fazemos agora foi pedido por Jesus? Nas suas ordenanças não está escrito nada do que fazemos agora. Quais foram as principais ordens de Jesus?
Amar ao SENHOR acima de qualquer coisa.
Amar-nos uns aos outros.
Ser servos uns dos outros.
Honrar pai e mãe.
Ser Luz nas trevas.
É interessante observar que não está escrito: Vá para a igreja; Entregue o seu dízimo; Seja Próspero.
É claro que estas coisas são necessárias, mas, elas não são um mandamento do Senhor e a igreja hoje tem reagido como se estas coisas fossem as mais importantes. Na repreensão aos farizeus, Jesus disse que eles deviam fazer tais coisas sem deixar de fazer as outras.
Paulo deu um raio "x" dos homens e mulheres de nosso tempo: "Estão cheios de todo tipo de perversidade, maldade, ganância, vícios, ciúmes, crimes de morte, brigas, mentiras e malícia. Caluniam e falam mal uns dos outros. Têm ódio de Deus e são atrevidos, orgulhosos e vaidosos. Inventam maneiras de fazer o mal, desobedecem aos pais, são imorais, não cumprem a palavra, não têm amor por ninguém e não têm pena dos outros. Eles sabem que o mandamento de Deus diz que aqueles que fazem essas coisas merecem a morte. Mas mesmo assim continuam a fazê-las  e, pior ainda, aprovam os que fazem as mesmas coisas que eles fazem." Rm 1:29-32.
Em meio a tudo isso está a igreja assentada nos bancos dos templos ouvindo um pregador.

Nenhum comentário:

Postar um comentário